jeudi 15 mars 2012

MÚSICA, ÍDOLOS E PODER




 A publicaçao semanal do livro " Musica, Idolos e Poder"chegou a seu fim…
Gostei muito desta, que foi para mim ,uma experiença totalmente nova : publicar meu livro, censurado, na internet gratuitamente para todos que poderiam estar interessados ; me deu a rara oportunidade de  estar em contato direto com muitos de voces que foram meus companheiros de rota durante estes ultimos 6/7 meses… Fiz alguns amigos virtuais preciosos que me enriqueceram esteticamente,  emocionalmente e desejo a cada um deles o melhor que a vida puder lhe dar.
Agora, o livro nao morreu nao, bem ao contrario, ele esta agora disponivel na sua integra, em forma de book eletronico nesse blog.

mercredi 15 février 2012

Capítulos 53 e 54


"Nunca fui de dar festas de aniversário. Recordo-me somente de uma, celebrando meus cinqüenta anos, há muito tempo. E é só. No entanto, cinqüenta anos de Brasil sempre me sugeriam uma celebração, seja pela ternura de haver vivido e haver participado tão intensamente da vida musical do país, ou mesmo por achar que, se até hoje se festejava a descoberta do Brasil há quinhentos anos, por Pedro Álvares Cabral , por que não fazer o mesmo com a descoberta do Brasil, cinqüenta anos atrás, pelo André Midani?
Essa idéia vinha brotando na cabeça da Gilda  havia já algum tempo. Ela tinha consultado Flora Gil  e Leonardo Neto, e um belo dia, à hora do jantar, declarou:
— Vai ter festa sim! Ela é merecida! Eu organizo."


mercredi 8 février 2012

Capítulos 51 e 52

Gilda e André Midani




"Já instalados numa pousada em Santa Mônica, durante uma noite de sono profundo, lá pelas quatro da manhã, tocou o telefone. Era do Ministério da Cultura, em Brasília, e o ministro Gil  estava na linha:
— André, eu preciso de você para o “Ano do Brasil na França”.Você aceita?
Sem saber bem do que se tratava, mas consciente de que o Gil jamais me negara qualquer pedido, até nos momentos mais difíceis da nossa longa relação de trabalho de mais de trinta anos, respondi:
— Gilberto, eu aceito. Porém são quatro da madrugada aqui... A gente conversa melhor amanhã, eu te telefono...  " 




mercredi 1 février 2012

Capítulos 49 e 50

( Astor Piazzolla )




"— André, você é o melhor amigo do Washington e gostaríamos que fosse o responsável por negociarcom os seqüestradores! Meu sangue congelou, pois eu não podia responder: “Sou amigo do Washington, sim. Mas não tão amigo que...” Eu tinha que aceitar! E aceitei na hora. Apavorado! No curso da minha vida profissional, eu tinha negociado muitos contratos de artistas representados por advogados temíveis. Porém, nada que fosse parecido com negociar a vida de uma pessoa!
Eu mesmo já tinha sido seqüestrado muitos anos antes em Caracas, com Astor Piazzolla  e seus músicos, depois de um concerto, quando uns jovens guerrilheiros estudantes irromperam no camarote do teatro e nos levaram a um vilarejo distante cinqüenta quilômetros, para que Piazzolla tocasse para seus companheiros por algumas horas. Porém, esse era um seqüestro de opereta, de brincadeira, quando comparado ao que acontecia agora. "




mercredi 25 janvier 2012

Capítulos 47 e 48


"Naquele ano, a organização tinha ficado a cargo da embaixatriz mexicana, que organizara um silent auction em prol de uma ONG de seu país. Eu acabei comprando uma raridade: uma luva de boxe vermelha autografada por Cassius Clay — aliás, Muhammad Ali —, que passei a guardar com orgulho na sala de meu apartamento, junto a um extraordinário retrato original em preto-e-branco do rosto do Muhammad Ali, suando em bicas, os olhos intensamente fixos, esperando o início de um próximo round, fotografado pelo célebre Gordon Parks .
Anos depois, eu me aproximo da luva e...
 O que foi que aconteceu? — perguntei à empregada. — A assinatura que estava aí na luva desapareceu!!!
 Não aconteceu nada não, senhor André... Eu limpei a luva... Acontece que estava bem suja... "


mercredi 18 janvier 2012

Capítulos 45 e 46

"Chegando à farmácia, Ofelia vira-se para Carmen e diz:
 — Engraçado, essa velha soa como Chavela Vargas …
Também achei — respondeu Carmen .
Ao saírem da farmácia, elas pararam um instante à frente da velha, que continuava cantando, olhando para o chão, como que perdida dentro de seu mundo, e Ofelia perguntou:
—Você, por acaso... seria Chavela ?
A velha levantou o rosto marcado pela idade e pela bebida, por anos de desamparo, e, com a voz embriagada, respondeu:
— Sim, sou.
Acabava de ser reencontrada uma das mais importantes personagens da música mexicana, de quem ninguém tinha notícias havia mais de vinte anos!"


mercredi 11 janvier 2012

Capítulos 43 e 44

"A partir daquele momento, de repente ficou distante o sonho dos fundadores dessa indústria a que chamavam de “A indústria da felicidade humana”. Ficou longe a época em que as gravadoras eram dirigidas por quem gostava de música, sendo, ao mesmo tempo, bom administrador. Ficou longe a era da competição amigável e ética entre as companhias. De súbito, os conglomerados disseram “Fora com os líderes criativos e dentro com os tecnocratas”, sob o pretexto de que os contratos artísticos estavam se tornando demasiadamente complexos e custosos para deixar a direção dos negócios nas mãos de gente com paixão pela música."



Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites